terça-feira, 24 de março de 2015

Amor, a fábula milenar

Antes devo esclarecer que o amor é uma enganação. Pessoas se enganam sobre amar, e, consequentemente, enganam os outros sobre ama-los.
Num instante você disse que me amava. Parecia verdadeiro, e de fato, seu olhar era sincero. Entretanto, algo me fazia pensar. Eu me conhecia como ninguém, isso dava a mim uma propriedade imensa pra falar que você só estava confusa. Você não me ama. Ninguém nunca amou. Esse é só um processo de encantamento pelo caos atípico da minha mente, pela possibilidade de ter o que nunca será de alguém, a chance de estabilizar o que há de mais instável. É por isso que você não me ama, e por isso talvez eu me odeie.

Nenhum comentário:

Postar um comentário