domingo, 12 de julho de 2015

Co(r)pos

Corpos vagam
Almas banidas do inferno
Num silenciamento eterno

Copos cheios de esperanças vazias
Corpos cheios de cerveja barata

Corpos que usam terno
E sujam de sangue
Os pés sujos
Que repousam sobre o chinelo

Nenhum comentário:

Postar um comentário