quarta-feira, 23 de dezembro de 2015

Despedida

Você sorria em todas as fotos daquele álbum de fotografia
Sorria da mesma maneira que costumava sorrir nos almoços de família
Sorria como se não houvesse o não-sorrir

E de repente, sem despedida
(de repente, não mais que de repente)
Deixou de sorrir
Passou a ser um rosto pálido na multidão
Um rosto como o meu
Que hoje
Esqueceu
O que era um sorriso

ainda me falta a consciência
na mesma proporção que me faltam as lágrimas

Nenhum comentário:

Postar um comentário